Base Hidrográfica Ottocodificada da Bacia do Rio Paraná 1:50.000/1:100.000

A Base Hidrográfica Ottocodificada (BHO) utilizada pela ANA na gestão de recursos hídricos é obtida a partir do Mapeamento Sistemático Brasileiro. A BHO é gerada a partir da cartografia digital da hidrografia do país e organizada de modo a gerar informações hidrologicamente consistentes. Para tanto, a BHO representa a rede hidrográfica em trechos entre os pontos de confluência dos cursos d’água de forma unifilar. Cada trecho é associado a uma superfície de drenagem denominada ottobacia, à qual é atribuída a codificação de bacias de Otto Pfafstetter. Uma característica essencial dessa representação é ser topologicamente consistente, isto é, representar corretamente o fluxo hidrológico dos rios, por meio de trechos conectados e com sentido de fluxo. (Fonte: ANA)

thumb

A BHO foi desenvolvida a partir da cartografia digital do mapemaneto sistemático na escala 1:100.000(MS/MG/GO)/1:50.000(PR/SP/MG)/1:10.000(DF), na qual foram feitas edições de modo a conferir consistência topológica para uma correta representação da rede hidrográfica, por meio de trechos conectados e com sentido de fluxo, conforme o Manual de Construção da Base Hidrográfica Ottocodificada da ANA. Cada trecho da BHO foi codificado pelo sistema de Otto Pfafstetter (ottocodificação), para o que foi produzida a identificação do curso d’água principal de cada subsistema hidrográfico, obtido pela maior área de contribuição a montante de cada confluência, tendo como unidades elementares de drenagem as ottobacias, geradas a partir do modelo digital de elevação hidrologicamente consistente a partir do MDE do SRTM 30m.

A aquisição da BHO requer a construção de uma rede unifilar, topologicamente consistente quanto aos aspectos de conectividade, em formato de grafo (árvore) e sem confluências duplas. Esse requerimento também se aplica às tradicionais análises de rede em ambiente de Sistema de Informação Geográfica (SIG).

As representações de cursos d’água por linhas duplas ou por polígonos são adequadas para a visualização e a produção cartográfica. Entretanto, para a análise de redes e para a construção da BHO, os cursos d’água devem ser representados por segmentos de linha ou arcos (que representam os trechos de curso d’água), conectados por nós (que representam a nascente, as confluências e a foz).

Uma característica importante da BHO é que podem ser incorporados níveis crescentes de detalhamento das bacias, preservando-se os códigos atribuídos às divisões anteriores, o que mantém a coerência da codificação qualquer que seja a escala de trabalho. Além disso, a lógica dessa codificação confere à BHO uma grande facilidade para implementação de consultas tabulares com a mesma consistência topológica das consultas espaciais, o que melhora muito o desempenho dos sistemas que a utilizam.

Os seguintes produtos estão disponíveis:

  • GEOFT_BHO_TRECHODRENAGEM.gpkg: representação linear unifilar do fluxo dágua principal de um corpo dágua sob a forma de trechos de drenagem provenientes da cartografia. Essa representação é compatível com a codificação de bacias de Otto Pfafstetter.
  • GEOFT_BHO_CURSODAGUA.gpkg: representação linear do curso dágua principal da bacia, sob a forma de cursos dágua, com sua codificação de curso dágua derivada da codificação de bacias de Otto Pfafstetter.
  • GEOFT_BHO_AREACONTRIBUICAO.gpkg: representação poligonal das áreas de contribuição hidrográfica, ottobacia, para cada trecho de drenagem, com seu código de bacia obtido a partir da metodologia de Otto Pfafstetter.
  • GEOFT_BHO_PONTODRENAGEM.gpkg: representação dos nós da rede de drenagem, que podem ser dos tipos: início do curso d’água, fim do curso d’água ou foz marítima.

Downloads:

Dados para download Trechos de Drenagem (gpkg)
Dados para download Áreas de Contribuição Hidrográfica (shp)
Dados para download Cursos d’Água (gpkg)
Dados para download Pontos de Drenagem (gpkg)
Dados para download Base de Dados completa (gpkg)
Dados para download Dicionário de Dados (Descrição dos Campos da Tabela de Atributos)

Diagnóstico do Fluxo de sedimentos em suspensão na Bacia Araguaia-Tocantins (2003)

O Diagnóstico do Fluxo de sedimentos em suspensão na Bacia Araguaia-Tocantins é um produto que oferece elementos para a caracterização da Bacia Araguaia-Tocantins. O estudo foi elaborado pela Embrapa Cerrado em parceria com a Aneel e a ANA, como forma de difundir informações que venham a servir como base de ações, decisões e soluções para o desenvolvimento e bem estar da sociedade brasileira.

“O estudo hidrossedimentológico de uma bacia hidrográfica, além de ser importante ferramenta de apoio a estudos ambientais, é fundamental para a análise de viabilidade de diversas atividades econômicas. A construção de uma barragem e a formação de seu reservatório, por exemplo, implicam em modificações nas condições naturais dos cursos d’água.”  Diagnóstico do Fluxo de sendimentos em suspensão na Bacia Araguaia-Tocantins (2003) Autores: LIMA, J. E. F. W., SANTOS, P. M. C. dos, CARVALHO, N. de O., SILVA, E. M. da.

DOWNLOAD

Mapas Temáticos de Domínio de Cursos d’Água por Estado

O site da Agência Nacional de Águas disponibiliza os os “Mapas Temáticos de Domínio de Cursos d’Água por Estado”, que foram elaborados em atendimento a um dos fundamentos da Política Nacional de Recursos Hídricos, expresso na Lei no 9.433, de 1997, que preconiza a gestão descentralizada dos recursos hídricos.

Cada mapa foi preparado pela Superintendência de Gestão da Informação (SGI), da Agência Nacional de Águas (ANA), seguindo os critérios técnicos estabelecidos na Resolução ANA no 399, de 22 de julho de 2004, aplicados à Base Cartográfica Integrada Digital do Brasil ao Milionésimo; o mapa abrange, separadamente, todos os entes da Federação e apresenta o domínio (da União e dos Estados) dos cursos d’água, constantes da referida base cartográfica, entretanto alguns mapas ainda se encontram em fase de produção.

O link para a página principal é http://www.ana.gov.br/domcursodagua/ , nela o usuário escolhe a região e então o estado de interesse.