Anúncios

Geodiversidade do Estado de Sergipe – CPRM, 2017

Tags

, , , ,

“Geodiversidade, para Brilha, Pereira e Pereira (2008), é a variedade de ambientes geológicos, fenômenos e processos ativos que dão origem a paisagens, rochas, minerais, fósseis, solos e outros depósitos superficiais que são o suporte para a vida na Terra.

No Brasil, os conceitos de geodiversidade se desenvolveram praticamente de forma simultânea ao pensamento internacional, entretanto, com foco direcionado para o planejamento territorial, embora os estudos voltados para geoconservação não sejam desconsiderados. SILVA et al. (2008a).

Na opinião de Veiga (2002), a geodiversidade expressa as particularidades do meio físico, abrangendo rochas, relevo, clima, solos e águas, subterrâneas e superficiais. A Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais/Serviço Geológico do Brasil (CPRM/SGB) define geodiversidade como:

O estudo da natureza abiótica (meio físico) constituída por uma variedade de ambientes, composição, fenômenos e
processos geológicos que dão origem às paisagens, rochas, minerais, águas, fósseis, solos, clima e outros depósitos superficiais que propiciam o desenvolvimento da vida na
Terra, tendo como valores intrínsecos a cultura, o estético, o econômico, o científico, o educativo e o turístico (CPRM,2006).” (CPRM, 2017)

A evolução geológica do estado de Sergipe registra uma história prolongada de colisões entre continentes, vulcanismo fissural, assoalhos oceânicos, arcos de ilhas,
orogêneses, erosões e formação de bacias sedimentares, que hoje fazem parte do registro geológico das rochas que compõem a superfície de 21.918 km2 do território sergipano. (CPRM, 2017)

Para acesso ao livro em formato PDF CLIQUE

Para acesso aos Mapas em formato PDF CLIQUE

CARVALHO, Luiz Moacyr de; MARTINS, Violeta de Souza. Geodiversidade do estado de Sergipe, 2017 (CPRM)

Anúncios

Logística de Energia 2015 – IBGE

Tags

, , , ,

“Neste estudo, busca-se abordar, de maneira integrada, dois grandes eixos da produção e distribuição de energia no País: de um lado os combustíveis, como os derivados de petróleo, os biocombustíveis e o gás e, de outro, a energia elétrica em seus diversos métodos de produção, enfatizando o papel do território e o da organização espacial envolvida.” (IBGE, 2016)

“O objetivo do presente estudo é apresentar, descrever e analisar os padrões espaciais da logística da energia no Brasil, com ênfase na compreensão do território, por meio da análise geográfica das estruturas que compõem a geração, a circulação e a distribuição dos insumos energéticos. Entende-se que os sistemas de energia no País fazem parte de um complexo sistema logístico territorial mais amplo, no qual o Estado, além de ser o provedor da infraestrutura, procura reconfigurar o território mediante uma macrologística que engloba as estratégias espaciais particulares do setor privado, conduzindo a um processo de ordenamento com vistas ao desenvolvimento nacional.

A publicação traz Notas técnicas, com informações sobre as bases de dados utilizadas e os procedimentos operacionais adotados na elaboração do presente estudo, entre outras considerações de natureza metodológica, e análises estruturadas em duas grandes seções: a primeira voltada ao petróleo, gás e biocombustíveis, contemplando aspectos de produção, transporte, armazenamento, distribuição, revenda e consumo; e a segunda com foco na geração e transmissão de energia elétrica. O volume é acompanhado de um mapa-mural sintético, integrando ambos os tipos de infraestrutura” (IBGE, 2016)

Link do Livro: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv97260.pdf

Link do Mapa: ftp://geoftp.ibge.gov.br/organizacao_do_territorio/redes_e_fluxos_geograficos/logistica_de_energia/mapa_LogEnergia2015_5mi.pdf

Link dos Dados: http://www.ibge.com.br/home/geociencias/geografia/redes_fluxos/logistica_de_energia_2015/base.shtm

Logística de energia : 2015 / IBGE, Coordenação de Geografia. – Rio de Janeiro : IBGE, 2016. 102p.
Acima do título: Redes e fluxos do território.
Inclui bibliografia.
ISBN 978-85-240-4382-6

WEKA – Software para Mineração de Dados

Tags

, , , , , , , , , , , ,

O Weka é um software open source que possui uma coleção de algoritmos para mineração de dados e oferece tarefas de pré-processamento, classificação, regressão, clusterização, associação de regras e visualização.

BMW classification data in WEKA. Fonte: https://www.ibm.com/developerworks/library/os-weka2/

O Weka foi desenvolvido utilizando a linguagem Java. Criada nas dependências da Universi dade de Waikato, Nova Zelândia. Atualmente é mantida por uma comunidade de entusiastas por ser u m software livre disponível sobre a licensa GPL. O processo de Descoberta de Conhecimento em Banco de Dados (DCBD) é um processo não trivial de identificação de padrões novos, válidos e potencial mente úteis (FAYYAD et al., 1996). Estes padrões estão ocultos nos dados e devem ser novos para o sistema, de preferência para o usuário, válidos em relação aos dados armazenados e as políticas do negócio, úteis para sua devida utilização nas tarefas para o qual foi requisitado.

Exemplo de Árvore de Decisão

Através do Weka, os resultados gerados por exemplo, em processos de segmentação e extração de atributos no Interimage (ver: https://sosgisbr.com/2017/06/01/) poderão ser validados de acordo com os coeficientes e poderão ser levantadas as possibilidades de árvores de decisão para implementação do mapeamento de classes. (http://www.cs.waikato.ac.nz/ml/weka/)

Dica 01: INTRODUÇÃO A MINERAÇÃO DE DADOS UTILIZANDO O WEKA, Marcelo Damasceno.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte/Campus Macau

Link: http://connepi.ifal.edu.br/ocs/index.php/connepi/CONNEPI2010/paper/viewFile/258/207

Dica 02: https://www.ibm.com/developerworks/library/os-weka2/

INTERIMAGE – Interpreting images freely

Tags

, , , , , , , ,

O INTERIMAGE é uma plataforma livre, com interface amigável, baseada da técnica de análise orientada ao objeto para interpretação automática de imagens. Atualmente, este é o único software gratuito capaz de realizar este tipo de análise e um dos poucos no mercado. o Ecognition é uma opção para realizar análises do mesmo gênero, contudo precisa da aquisição da licença. O INTERIMAGE está disponível para download gratuitamente no link http://www.lvc.ele.puc-rio.br/projects/interimage/pt-br/

O mesmo link dá acesso à documentação do sistema, caracterização dos operadores e no link do wiki (http://wiki.dpi.inpe.br/doku.php?id=interimage) é possível encontrar exercícios para aprender a utilizar o sistema.

“A interpretação de imagens baseada em conhecimento é realizada com o objetivo de reconhecer objetos na imagem e lhes associar um significado. A interpretação de imagens subdivide-se em dois campos, a saber: a segmentação de imagens, que extrai regiões conexas a partir de uma imagem, e o processamento simbólico, que associa a estas regiões um significado específico, baseando-se em suas características, podendo também gerar objetos de nível superior, levando em conta as relações entre as regiões.” (Pahl, 2003 in INPE, 2005)

No INTERIMAGE, o usuário pode modelar o seu conhecimento através da criação de uma rede semântica e regras de decisão que modelam o conhecimento do usuário de uma maneira explícita e fornecem ao sistema as informações necessárias para realizar uma classificação automática. Existem, no entanto, algumas restrições no sistema, é preciso que o usuário trabalhe com imagens de 3000×3000 pixels no máximo e facilite os caminhos para os arquivos, evitando muitas pastas e caracteres especiais. Contudo, algumas limitações estão sendo corrigidas pela versão em nuvem, que está em desenvolvimento. Ver: http://www.lvc.ele.puc-rio.br/wp/?p=1861#more-1861

A técnica OBIA (Object Based Image Analysis) já foi brevemente abordada no blog com uma publicação do Toolbox para ArcGis >> https://sosgisbr.com/2016/11/28/toolbox-geobia-no-arcgis-para-landsat-8/

Articulações Cartas – IBGE – KML e Shapefile (SHP)

Tags

, , , , , , , , , , , , , , , ,

Entendo que a publicação com as articulações das cartas são sempre importantes e facilitadoras dos trabalhos desenvolvidos. Dando continuidade à publicação Mapa Índice do Brasil Atualizado (Ver: https://sosgisbr.com/2016/05/09/mapa-indice-do-brasil-atualizado/) disponibilizo para Download dados com as articulações do IBGE nas escalas: 1:25.000 / 1:50.000 / 1:100.000 / 1:250.000 / 1:500.000 / 1:1.000.000

DOWNLOAD KML (Google Earth) Completo (zip 8 MB) >> DOWNLOAD

DOWNLOAD SHP (Shapefiles) Completo (6MB) >> DOWNLOAD

Observação: Todas as informações contidas nos dados são da origem, nenhuma edição ou atualização foi feita.