Acervo Milton Santos

O site foi feito e também é mantido pela família de Milton Santos e tem como objetivo reunir informações e materiais que possam ser úteis a todos aqueles que se interessem pela obra de Milton Santos.

A quantidade de material a ser disponibilizada é bastante extensa, por isso a ideia é que haja uma atualização constante desse ambiente com cada vez mais informações.

Ressalta-se ainda que se você tem algum material que gostaria de disponibilizar, entre em contato com os responsáveis no e-mail (contato@miltonsantos.com.br), as contribuições são muito bem-vindas.

Acesse: http://miltonsantos.com.br/site/

Evento: Geotecnologias na Gestão Pública (UERJ)

Nos dias 11, 12 e 13/06 ocorrerá o Nono Geotecnologias na Gestão Pública. A programação nesse ano conta com o Diretor de Geociências do IBGE, o Comandante da DSG/Exército, o Diretor da Divisão de Processamento de Imagens do INPE, a Diretora de Cadastro e Fomento do SFB/Min. da Agricultura (responsável pelo CAR) e mais de 30 outros trabalhos e 6 minicursos. As palestras podem ser acompanhadas de forma presencial ou online, porém a sessão de pôsteres apenas poderá ser acompanhada de forma presencial.

Acesse:
https://www.labgis.uerj.br/emaildiv/17052019/news.html

O evento é organizado pelo Núcleo de Geotecnologias da UERJ (Sistema Labgis), o Inst. Pereira Passos da Prefeitura do Rio de Janeiro e o Min. Público do Estado do Rio de Janeiro.

Atlas Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Européia

Está disponível para download o “Atlas Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Européia“, elaborado pela Profa. Larissa Mies Bombardi da Faculdade de geografia da USP.

Trata-se de um levantamento de dados exaustivo e sem precedentes sobre o consumo de agrotóxicos no Brasil (todos com fontes oficiais) e faz um paralelo com o que acontece na União Européia. Conta com uma introdução sintetizando o trabalho de pós-doutoramento da professora e, a partir da página 67, são mais de 200 páginas com infográficos que exploram, quantificam e facilitam a compreensão do TAMANHO DO PROBLEMA.

Considero de leitura obrigatória, não só para os profissionais das ciências agrárias, saúde e economia, mas para todos os que se alimentam e bebem da água produzidos neste país.


Acesso

O Atlas encontra-se no formato digital para download gratuito no link: https://drive.google.com/file/d/1ci7nzJPm_J6XYNkdv_rt-nbFmOETH80G/view  , ou para compra no formato impresso, a partir do dia 11/12/2017, no blog: https://www.larissabombardi.blog.br/atlas2017

BOMBARDI, Larissa Mies. Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Européia. São Paulo. FFLCH – USP, 2017. 296p.

Atlas geográfico escolar – 7ª edição (IBGE)

O IBGE disponibiliza para venda e download o Atlas geográfico escolar – 7ª edição atualizado, “com informações geográficas, estatísticas e cartográficas sobre o Brasil e outros países. Dentre os temas abordados destacam-se clima, vegetação, usos da terra, litosfera, estrutura e dinâmica da população, divisões políticas e regionais, características demográficas, indicadores sociais, espaço das redes, espaço econômico e diversidades ambiental e cultural sobre o Brasil e aproximadamente 200 países. Fotos, ilustrações, imagens de satélite, textos descritivos e analíticos, mapas físicos, políticos e temáticos do Brasil e do mundo também fazem parte da publicação e ajudam na compreensão da nossa realidade e de outras que compõem a cenário sociopolítico e econômico mundial” (IBGE, 2016).

ISBN: 9788524404373

 

 

 

 

 

 

 

untitled9.jpg

 

Download: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv99345.pdf

O Campo na Dialética da Geografia, Jean Tricart

” Uma decisão recente de nossa U.E.R. (Universidade Louis Pasteur) resolveu manter, para 1977, as verbas afetas às “excursões” no orçamento anterior, enquanto a soma total das verbas que nos atribuem diminui, pois é preciso defender o franco… Na realidade, a manutenção dos fundos nominais enquanto todos os preços aumentam significa uma diminuição do poder de compra. Todavia, nossa decisão manifesta uma orientação metodológica, a afirmação de uma política científica e pedagógica: a miséria em meio à qual procuramos trabalhar, seja como for, assume graus diversos, e nós queremos que o trabalho de campo sofra menos do que outras atividades. Trata-se, portanto, de uma escolha. Será que ela se justifica? De que maneira?

Antes de mais nada devemos justificar o lugar que o campo ocupa no desenvolvimento do conhecimento, o que nos leva a definir sua posição metodológica. Por sua vez essa posição metodológica, uma vez definida, implica uma determinada concepção do trabalho de campo que possa associar-se a ela numa dialética. Mais ainda: disso tudo decorre uma orientação pedagógica destinada a permitir aos jovens a aquisição do manejo dessa dialética nas melhores condições possíveis. (…)”

Tricart, Jean O Campo na Dialética da Geografia – Revista do Departamento de Geografia, 19 (2006) 104-110.

DOWNLOAD