Calculo da Declinação Magnética

A agência NOAA disponibiliza uma calculadora para valores estimados de declinação magnética.

Fonte: NOAA

Segundo a NOAA, a declinação magnética é calculada usando o modelo mais recente World Magnetic Model (WMM) (ACESSE) da International Geomagnetic Reference Field (IGRF) (ACESSE). O Enhanced Magnetic Model (EMM) (ACESSE) é um modelo de pesquisa compilado de levantamentos magnéticos de satélite, marinhos, aeromagnéticos e terrestres que tenta incluir variações crustais no campo magnético. A NOAA alerta que os resultados da declinação são normalmente precisos até 30 minutos de arco, mas fatores ambientais podem causar distúrbios no campo magnético. A calculadora fornece uma maneira fácil de obter resultados em HTML, XML, CSV ou JSON .

Fonte: NOAA

Para acessar a calculadora vá em >> https://www.ngdc.noaa.gov/geomag/calculators/magcalc.shtml#declination

Acompanhamento dos Casos de Coronavirus (COVID19) em Niterói

O sistema traz informações sobre concentração de coronavírus no esgoto, acompanha também os casos de contaminação e a evolução do isolamento social na cidade. No link também é possível acessar dados a nível nacional e global.

Casos por semana epidemiológica
Coronavírus em amostras de esgoto

ACESSE >> LINK

GeoInea Municípios

Com o intuito de ajudar nesta cooperação, o Instituto Estadual do Ambiente criou este canal eletrônico contendo as informações espaciais dos municípios e consequentemente auxiliar no Planejamento e Gestão do espaço geográfico.

Nele, poderá acessar, consultar, efetuar análises e realizar o download das Geoinformações disponíveis para cada município. (Fonte: INEA)

ACESSE GEOINEA MUNICÍPIOS >> LINK

Webinar – Lançamento e mini capacitação no uso do Portal GEOINEA:

MonitoraCovid-19

MonitoraCovid-19 é um sistema que agrupa e cruza dados sobre o novo coronavírus no Brasil e no mundo. A partir de gráficos e mapas, a ferramenta online permite monitorar a pandemia e sua tendência por estados e municípios brasileiros, e fazer comparações com países que estão em estágios mais avançados da epidemia. 

O MonitoraCovid-19 foi criado pelo Laboratório de Informação e Saúde (LIS) com o apoio da Plataforma de Ciência de Dados aplicada à Saúde (PCDaS), ambos do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict/Fiocruz). Foi desenvolvido com softwares livres e de código aberto, permitindo que qualquer pessoa baixe e reaplique os dados compilados. 

Com atualização diária, o MonitoraCovid-19 usa três fontes de dados. Os municipais são obtidos com o projeto Brasil.io, repositório público que disponibiliza os dados municipais compilados pelas secretarias estaduais de saúde. As informações sobre os estados brasileiros têm como fonte o projeto Kaggle Coronavirus Brazil, que coleta diariamente os dados divulgados pelo Ministério da Saúde. A base para os dados referentes a outros países é a universidade americana Johns Hopkins.  

Linha de Tempo de Casos por Estado

Fonte:Icict/Fiocruz

Acesse: https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/

Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil (PNUD)

Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil engloba o Atlas do Desenvolvimento Humano nos Municípios e o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas. O Atlas é, uma plataforma de consulta ao Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 5.565 municípios brasileiros, 27 Unidades da Federação (UF), 21 Regiões Metropolitanas (RM) e 3 Regiões Integradas de Desenvolvimento (RIDE) e suas respectivas Unidades de Desenvolvimento Humano (UDH). O Atlas traz, além do IDHM, mais de 200 indicadores de demografia, educação, renda, trabalho, habitação e vulnerabilidade, com dados extraídos dos Censos Demográficos de 1991, 2000 e 2010. Na seção de download podem ser encontradas as Bases de Dados, públicações em português, inglês e esoanhol, além de Análises e Notas Metodológicas.

Concebido como uma ferramenta simples e amigável de disponibilização de informações, o Atlas Brasilfacilita o manuseio de dados e estimula análises. A ferramenta oferece um panorama do desenvolvimento humano e da desigualdade interna dos municípios, estados e regiões metropolitanas. A relevância do Atlas do Desenvolvimento Humano nos Municípios vem justamente da capacidade de fornecer informações sobre a unidade político-administrativa mais próxima do cotidiano dos cidadãos: o município. Por sua vez, o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas permite conhecer as desigualdades a nível intramunicipal, entre “bairros” de uma mesma região metropolitana.

Entre os indicadores disponíveis está o Índice de Gini. Um instrumento usado para medir o grau de concentração de renda. Ele aponta a diferença entre os rendimentos dos mais pobres e dos mais ricos. Numericamente, varia de 0 a 1, sendo que 0 representa a situação de total igualdade, ou seja, todos têm a mesma renda, e o valor 1 significa completa desigualdade de renda, ou seja, se uma só pessoa detém toda a renda do lugar.

Fonte: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Fundação João Pinheiro.

Acesse: http://www.atlasbrasil.org.br/