Infraestrutura de Dados Espaciais de Minas Gerais (IDE – SISEMA)

A Infraestrutura de Dados Espaciais do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IDE-Sisema), em consonância com a Resolução Conjunta SEMAD/FEAM/IEF/IGAM nº 3.147/2022, tem como objetivo promover a adequada organização dos processos de geração, armazenamento, acesso, compartilhamento, disseminação e uso dos dados geoespaciais oriundos das atividades, programas e projetos ambientais e de recursos hídricos desenvolvidos pelo Sisema e/ou órgãos, entidades e instituições externas. Trata-se de um modelo de gestão corporativa e compartilhada dos dados, padrões e tecnologias geoespaciais de seus órgãos componentes, implementado por Comitê Gestor, composto por setores técnicos especializados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM), Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). A coordenação executiva é realizada pela Diretoria de Gestão Territorial Ambiental da SEMAD. (FONTE: IDE SISEMA)

ACESSE:

https://idesisema.meioambiente.mg.gov.br/webgis

MonitoraCovid-19

MonitoraCovid-19 é um sistema que agrupa e cruza dados sobre o novo coronavírus no Brasil e no mundo. A partir de gráficos e mapas, a ferramenta online permite monitorar a pandemia e sua tendência por estados e municípios brasileiros, e fazer comparações com países que estão em estágios mais avançados da epidemia. 

O MonitoraCovid-19 foi criado pelo Laboratório de Informação e Saúde (LIS) com o apoio da Plataforma de Ciência de Dados aplicada à Saúde (PCDaS), ambos do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict/Fiocruz). Foi desenvolvido com softwares livres e de código aberto, permitindo que qualquer pessoa baixe e reaplique os dados compilados. 

Com atualização diária, o MonitoraCovid-19 usa três fontes de dados. Os municipais são obtidos com o projeto Brasil.io, repositório público que disponibiliza os dados municipais compilados pelas secretarias estaduais de saúde. As informações sobre os estados brasileiros têm como fonte o projeto Kaggle Coronavirus Brazil, que coleta diariamente os dados divulgados pelo Ministério da Saúde. A base para os dados referentes a outros países é a universidade americana Johns Hopkins.  

Linha de Tempo de Casos por Estado

Fonte:Icict/Fiocruz

Acesse: https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/

Bases de Dados da Pesquisa Agropecuária

A EMBRAPA está disponibilizando a consulta a quase 1 milhão de documentos indexados em 50 coleções. O banco permite encontrar o registro em qualquer uma das bibliotecas cadastradas, bem como fazer o download daqueles cuja cópia digital é autorizada.

Acesse: https://www.bdpa.cnptia.embrapa.br

Projeto de Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite (PRODES)

Novo_Portal_De_Mapas_PRODES

No novo portal os usuários poderão acompanhar os dados do desmatamento de maneira mais moderna e amigável. Foi construído um “dashboard”, ou seja, um painel interativo de visualização dos dados, onde os usuários podem interagir com diversos gráficos que mostram os aspectos chave para analisar a taxa de desmatamento em toda a área observada ou filtrados por municípios, estados, unidades de conservação etc. O usuário ainda tem a possibilidade de obter os dados em formatos comuns, permitindo a construção de seus próprios gráficos e análises. (Fonte INPE)

Acesse: http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/

Dossiê das Regiões Metropolitanas Brasileiras

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), vinculado ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, oferece por meio de uma plataforma digital o dossiê completo sobre cada uma das principais Regiões Metropolitanas brasileiras: histórico, estrutura institucional, dados socioeconômicos e demográficos e os relatórios do Projeto Governança Metropolitana no Brasil.

O projeto Governança Metropolitana no Brasil agrega, por meio da Rede Ipea, instituições de pesquisa, estudos e levantamentos do quadro político-institucional das Regiões Metropolitanas brasileiras, buscando investigar as especificidades e condicionantes da governança e gestão metropolitanas nas principais RMs do país. Nesse sentindo, o projeto realizou o levantamento, a análise e a avaliação da gestão das funções públicas de interesse comum, com um olhar atento à interação dos agentes econômicos e políticos e dos atores sociais que contribuem para a conformação do espaço metropolitano e para o campo de possibilidades de sua gestão e transformação. As transformações pelas quais passam o capitalismo causam efeitos importantes sobre as metrópoles: maior velocidade dos fluxos financeiros e de mercadorias, num contexto de economia descentralizada; reestruturação produtiva das atividades econômicas; além do dinamismo do setor de serviços. Essas transformações geram maior incerteza quanto à localização das atividades no território e, assim, reforçam a centralidade e o papel atual das metrópoles no mundo. (Fonte: Brasil Metropolitano)

Esta nova plataforma do Ipea, Governança Metropolitana no Brasil, traz dados socioeconômicos e informações acerca da gestão e governança nas principais regiões metropolitanas do país desde 2011. “O monitoramento da situação socioeconômica, especialmente em infraestrutura urbana, é estratégico para o desenvolvimento do Brasil e para acompanhar a qualidade de vida das pessoas que vivem nessas localidades”, comentou o coordenador do projeto, Marco Aurélio Costa. (Fonte: IPEA)

A plataforma conta com uma interface de fácil acesso que agrupa todos os produtos do projeto, além de possuir uma aba que reúne toda legislação que incide sobre as regiões metropolitanas no Brasil. “A principal aba disponível é a Biblioteca, que reúne os três livros já lançados, todos os relatórios institucionais e também uma base de dados socioeconômicos”, explicou Bárbara Oliveira Marguti, coordenadora técnica do projeto.(Fonte: IPEA)

Acesse: http://brasilmetropolitano.ipea.gov.br/