Atlas do Agronegócio 2018

“O Brasil comumente é “vendido” como um país com múltiplas regiões e diversidade na produção de alimentos. Grãos, frutas, legumes, frango, carne, tudo para alimentar a população com sabor, saúde e abundância. A propaganda no intervalo dos noticiários na TV, das novelas ou das salas de cinema repete com imagens coloridas o sucesso do agronegócio brasileiro: “Agro é Tec”, “Agro é Pop”, “Agro é Tudo”. Será?

O agronegócio é um dos pilares da economia de muitos países do Sul global, e em especial da brasileira. Corporações nacionais do setor agroalimentar estão entre as maiores do mundo, conforme você poderá verificar nas próximas páginas. A história desse sucesso, contudo, não é tão singela como fazem crer equipes de marketing bem remuneradas. É o que mostram dados e informações aqui reunidos, análises dos players mundiais do negócio da alimentação, com ênfase na realidade brasileira.

A presente edição também detalha a tendência de concentração do poder e das
terras, em detrimento das condições de vida e de trabalho da agricultura familiar e camponesa, de povos indígenas e de comunidades tradicionais. Cortes sociais agravam conflitos socioambientais em um contexto de criminalização, perseguições e violação de direitos de quem luta pela terra – ou pela mera existência.

Atlas do Agronegócio foi apresentado em sua primeira edição em 2017 na Alemanha por um conjunto de organizações que defendem a justiça socioambiental global. No Brasil, duas dessas organizações, a Fundação Heinrich Böll e a Fundação Rosa Luxemburgo, juntaram forças para traduzir, atualizar, adaptar e contextualizar informações reunidas no original, acrescentando vários artigos com relevância especial para a sociedade brasileira.”

Fonte: Altas do agronegócio: fatos e números sobre as corporações que controlam o que comemos. Maureen Santos, Verena Glass, organizadoras. – Rio de Janeiro : Fundação Heinrich Böll, 2018. 60 p.; il.; 29,7cm

DOWNLOAD EM https://acervo.socioambiental.org/sites/default/files/documents/T1D00091.pdf

Biblioteca Digital do Patrimônio Iberoamericano

A Biblioteca Digital do Patrimônio Ibero americano (BDPI) é um projeto lançado pela Associação de Bibliotecas Nacionais da Ibero-América (ABINIA) que tem como objetivo a criação de um portal que permita a consulta unificada para acesso aos recursos digitais de todas as Bibliotecas participantes.

Untitled

Neste imenso acervo digital podem ser encontrados mapas, gravações de som, literatura, manuscritos, material de botânica, geografia, gastronomia, vida selvagem, partituras, entre outros. São acervos de 16 países reunidos. A Biblioteca Nacional do Brasil, por exemplo, disponibiliza mais de 400 mapas históricos.

Acesse o link : http://www.iberoamericadigital.net/pt/Inicio/