WEBINAR GRATUITO: PYTHON

WEBINAR GRATUITO:

PROGRAMAÇÃO EM PYTHON É PARA TODO PROFISSIONAL DE GIS?

 


O Núcleo de Geotecnologias da UERJ oferece gratuitamente o webinar Programação em Python é para todo o profissional de GIS?, que ocorre no dia 21 de março às 20 horas (horário de Brasília).

O professor e cientista da computação José Augusto Sapienza Ramos vai apresentar sobre o uso de programação em Python para apoiar processamentos de dados geográficos, análises espaciais e criação de ferramentas. Será abordado:

– O que é a linguagem Python?
– Como ela pode ser utilizada em GIS?
– Quem pode ou deve aprendê-la?
– Como aprendê-la?
– Exemplos no ArcGIS Desktop, ArcGIS Online, QGIS e ArcGIS Pro

O apresentador do webinar é o José Augusto Sapienza Ramos – coordenador acadêmico do Sistema Labgis/UERJ, atua em pesquisa, ensino e consultoria em Geotecnologias há 16 anos. Graduado em Ciência da Computação pela Univ. Federal Fluminense, mestrado em Geographic Information Science & Systems pela Univ. de Salzburgo (Áustria) e mestrado e doutorando em Eng. de Sistemas e Computação pela Univ. Federal do Rio de Janeiro. Ele atua no campo de Análise Espacial, Geomarketing, Modelagem de Dados Geográficos e Modelagem Computacional. Além da atuação na UERJ, é ministra aulas de Python no Departamento de Ciência da Computação da UFRJ.

Atenção: todos os inscritos receberão a gravação, dados e os slides da apresentação.


INSCRIÇÃO E INFORMAÇÕES


Fonte: https://www.labgis.uerj.br/noticias/webinar-gratuito-dados-para-realizar-seu-estudo-em-python-programacao-em-python-e-para-todo-o-profissional-de-gis

WEBINAR GRATUITO SOBRE GEOMARKETING

WEBINAR GRATUITO:

DADOS PARA REALIZAR SEU ESTUDO DE GEOMARKETING

QUAIS SÃO E ONDE ESTÃO?


O Núcleo de Geotecnologias da UERJ oferece gratuitamente o webinar Dados para realizar seu estudo de Geomarketing — quais são e onde estão?, que ocorre no dia 14 de março às 20 horas (horário de Brasília).

Nesse webinar serão discutidos como selecionar e utilizar os dados necessários para o seu estudo de Geomarketing dentro dos seguintes tópicos:

• Selecionar quais dados são necessários;
• Como qualificar os dados;
• Quais são os formatos que usualmente esses dados são apresentados e como tratá-los;
• Explorar algumas das principais fontes de dados para Geomarketing;
• Análise e divulgação dos resultados de um estudo de Geomarketing.

O palestrante é:
• José Augusto Sapienza Ramos – coordenador acadêmico do Sistema Labgis/UERJ, atua em pesquisa, ensino e consultoria em Geotecnologias há 16 anos. Graduado em Ciência da Computação pela Univ. Federal Fluminense, mestrado em Geographic Information Science & Systems pela Univ. de Salzburgo (Áustria) e mestrado e doutorando em Eng. de Sistemas e Computação pela Univ. Federal do Rio de Janeiro. Ele atua no campo de Análise Espacial, Geomarketing, Modelagem de Dados Geográficos e Modelagem Computacional. Criou e ministra os cursos de Geomarketing há 6 anos pelo Sistema Labgis e também no mestrado de Ciência e Sistema de Informação Geográfica da UNIGIS. Veja as próximas turmas de Geomarketing nesse link.


INSCRIÇÃO E INFORMAÇÕES: clique aqui! ou acesse o link: https://www.labgis.uerj.br/noticias/webinar-gratuito-dados-para-realizar-seu-estudo-de-geomarketing-quais-sao-e-onde-estao


Atenção: todos os inscritos receberão a gravação, dados e os slides da apresentação.

Curso de PostgreSQL & PostGIS da UERJ.

POR QUE BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS?

O DESAFIO DE ORGANIZAR UM VOLUME INÉDITO DE DADOS

O conteúdo abaixo é de autoria do Prof. José Augusto Sapienza Ramos, coordenador acadêmico do Sistema Labgis/UERJ, onde as referências ao livro original se encontram ao final deste texto. José Sapienza é mestre em Ciência e Sistema de Informações Geográficas, tendo também graduação e pós-graduação na área de Computação. Será professor do próximo curso de PostgreSQL & PostGIS da UERJ.

“Determinadas técnicas e tecnologias criadas pelo homem deram significativos saltos na produção e circulação de informação nas sociedades. Para citar apenas algumas: a escrita, a prensa de Gutenberg, o rádio, a TV, o computador e a internet.

Toda a vez que essa produção de informação aumentou rapidamente se fez ainda mais presente o desafio de organizar e fazer a informação produzida circular dentro das sociedades. Afinal, a informação deve ser útil a uma quantidade maior de pessoas para que ela agregue mais valor àquela sociedade.

Para ilustrar a ideia, a organização do conhecimento humano em bibliotecas já acontecia antes da invenção da prensa de Gutenberg, porém as bibliotecas tiveram novos desafios para fazer a curadoria de um maior volume de obras impressas que começaram a ser reproduzidas pelas prensas em escala inédita à época.

Podemos entender que o banco de dados é uma iniciativa que vai ao encontro ao desafio da nova escala de produção de informação permitida pelos computadores. Em outras palavras, o desenvolvimento dos bancos de dados começa praticamente junto com o advento dos computadores eletrônicos. Ele permite estratégias para organizar e facilitar o compartilhamento de um inédito volume de dados digitais dentro de um cenário onde a forma de comunicar e consumir informações ganha nova dinâmica, principalmente, com a internet.

O conceito sobre a informação e sobre a sua ciência desempenha um papel central na sociedade contemporânea, inclusive para uma gestão municipal mais articulada. Embora a geração e comunicação de conhecimento sejam fenômenos básicos de todas as sociedades humanas, a ascensão das tecnologias da informação e seus impactos globais é que nos fazem uma sociedade da informação.

Hoje se entende que o dado e a informação assumem papel fundamental para geração de capital, conhecimento e governança. A natureza digital da informação é o que a torna especialmente importante no mundo contemporâneo; um recurso imprescindível para lidarmos com os novos desafios de nossa sociedade, inclusive os desafios sobre o meio ambiente.

Todavia, para que a informação cumpra o seu potencial, ela precisa ser organizada e distribuída de forma eficiente, sendo o banco de dados uma das principais estratégias que hoje pode ser adotada. Em outras palavras, dependendo da complexidade, volume e dinâmica da base de dados, armazená-la em arquivos e pastas em disco de um computador não é suficiente; é necessário lançar mão de ferramentas e técnicas mais apropriadas a fim que a informação seja mais bem utilizada; agregue mais valor.”

Leia mais na fonte original: capítulo Banco de dados geográficos para a gestão ambiental municipal do livro “Gestão e Governança Local para a Amazônia Sustentável – Volume 2” organizado pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM). Baixe o livro completo gratuitamente aqui.

SOBRE O CURSO:

DATA: 05/02/2018 a 08/02/2018 – RIO DE JANEIRO – SEGUNDA A QUINTA.

Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã, Pavilhão João Lyra Filho, 2ºandar, Bloco F, sala 2044 – Sistema LABGIS.

HORÁRIO: 9H ATÉ 17H30

Investimento para profissionais

Matrícula de R$ 420,00 + 1 parcela de R$ 420,00.

Investimento para estudantes e professores*

Matrícula de R$ 320,00 + 1 parcela de R$ 320,00.
*Estudantes das redes pública e privada ou professores da rede pública: saiba mais.

Inscreva-se AQUI!

Programa de aula

1) Introdução

  • Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados
  • Os projetos PostgreSQL e PostGIS
  • Instalando o PostgreSQL com a extensão PostGIS
  • Carregando o primeiro banco de dados
  • Acessando o PostGIS pelo QGIS e outros aplicativos
  • Modelo relacional e formas normais

2) Estruturas e recursos básicos do PostgreSQL/PostGIS

  • Criando Schemas
  • Construindo Databases
  • Criando e editando Tables
  • Colunas geometry e geography
  • Restrições de integridade
  • Configurando layers para o GIS
  • Conexão, importação e consulta pelo Quantum GIS

3) Linguagem SQL

  • Conceitos básicos
  • SELECT, INSERT e DELETE
  • Manipulando a estrutura do banco pelo SQL
  • Utilizando functions do PostGIS pelo SQL

4) Mais recursos do PostgreSQL/PostGIS

  • Views
  • Views como layers no GIS
  • Trabalhando com dados matricias no PostGIS
  • Indexação e indexação Espacial
  • Functions
  • Triggers

5) Manutenção e acesso dos banco de dados

  • Backup
  • Rotinas de manutenção
  • Configuração de acesso

FONTE: LABGIS

Palestras Gratuitas ONLINE e PRESENCIAIS sobre Geotecnologia no Ensino e na Gestão Pública – LABGIS / UERJ

logo_out_rosaO Sistema Labgis/UERJ está organizando, em parceria com o Instituto Pereira Passos do Rio de Janeiro e a Rede UNIGIS, uma nova rodada de palestras gratuitas sobre Geotecnologias para a gestão pública e Geotecnologias aplicadas ao ensino. As palestras ocorrem no campus da UERJ Maracanã e são transmitidas online também.

No dia 25 de outubro acontece o III Foro Mundo UNIGIS Rio de Janeiro, com o tema “GIS & Educação”.

  • Na parte da manhã ocorrerá uma mesa redonda com o título Novas Ferramentas para uma Nova Forma de Educar: Geotecnologias no Ensino Básico com a participação de diferentes autoridades nacionais e internacionais da área.
  • Já na parte da tarde alunos de graduação e pós-graduação apresentarão e debaterão sobre O uso das Geotecnologias em seus diferentes temas de projeto de final de curso como Infraestrutura de Dados Espaciais, Mudanças Climáticas e Fotogrametria.

No dia 26 de outubro ocorrerá a sexta edição do Geotecnologias na Gestão Pública, que reúne diferentes apresentações de cases de como o serviço público está aplicando a informação geográfica para apoiar suas atividades. Temas como Inundação, Meio Ambiente, Energia, Patrimônio Cultural, Obras e Defesa serão apresentados por diferentes setores municipais, estaduais e federais.

No dia 27 de outubro ocorrerão minicursos focados em tópicos de Análise Espacial para tomada de decisão. Com os títulos “Análise de Rede Viária e Acessibilidade no GIS”, “Análise Espacial em SIG, você está fazendo isso certo?” e Análise Semi-Automatizada da Vegetação Utilizando Imagens NDVI”, esses minicursos também pode ser acompanhados de forma online ou presencial. Ao contrário das palestras gratuitas, os minicursos possuem taxa de inscrição.

Para maiores informações ou inscrições, acesse o link: https://www.labgis.uerj.br/noticias/palestras-gratuitas-online-e-presenciais-sobre-geotecnologias-no-ensino-e-na-gestao-publica

Novos Cursos Labgis

Os cursos de extensão do Labgis entraram em uma nova fase. Agora há a oferta dos cursos presencialmente em três capitais do Sudeste: Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Também já foi lançada a plataforma de ensino à distância (EAD). Desta forma, O Labgis está mais próximo daqueles que desejam aumentar sua formação em Geotecnologias.

 Acesse o site e veja mais informações:

>>> http://www.labgis.uerj.br/extensao/ <<<