Atlas Brasileiro de Desastres Naturais. Volume do Rio de Janeiro (1991 a 2012)

O Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD) disponibiliza para Download o Atlas Brasileiro de Desastres Naturais em versões por estados.

“A primeira edição do Atlas Brasileiro de Desastres Naturais é um exemplo desse avanço. Trata-se da evolução de um trabalho concluído em 2010, que contou com a cooperação de todos os estados e do Distrito Federal, além da academia, num amplo trabalho de levantamento de informações necessárias para a caracterização do cenário nacional de desastres entre 1991 e 2010.

Realizado por meio de uma parceria entre a Secretaria Nacional de Defesa Civil – SEDEC e a Universidade de Santa Catarina, esta nova edição do Atlas foi atualizada com informações referentes aos anos de 2011 e 2012 e contempla novas metodologias para melhor caracterização dos cenários.

A perspectiva agora é a de que as atualizações dessas informações ocorram de forma ainda mais dinâmica. Com a implementação do primeiro módulo do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres – S2ID, no início de 2013, os registros sobre desastres passaram a ser realizados on-line, gerando bancos de dados em tempo real. Logo, as informações relacionadas a cada desastre ocorrido são disponibilizadas na internet, com informações que poderão prover tanto gestores de políticas públicas relacionadas à redução dos riscos de desastres, como também a academia, a mídia e os cidadãos interessados.” ( Humberto Viana, Secretário Nacional de Defesa Civil)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Download: Atlas de Desastres Naturais do RJ de 1991 a 2012

Download: Mapas do Atlas Rio de Janeiro 2012

Referência: Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. Atlas brasileiro de desastres naturais: 1991 a 2012 / Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. 2. ed. rev. ampl. – Florianópolis: CEPED UFSC, 2013. 120 p. : il. color. ; 22 cm. Volume Rio de Janeiro.

Fonte: http://www.ceped.ufsc.br/

 

Cartas de Risco a Escorregamento em Encostas nos Municípios Fluminenses: São Gonçalo (DRM-RJ)

O DRM-RJ disponibiliza para Download Cartas de Risco a Escorregamento de Municípios do Rio de Janeiro, que aborda os riscos iminentes. A metodologia de análise qualitativa, em escala grande, do risco geológico a escorregamentos, adequada às condições do Estado do Rio de Janeiro, foi definida em 2010, servindo de base para o programa de Mapeamento de trinta e um municípios, considerados prioritários, em função da análise apresentada, em dezembro de 2009, no documento Diagnóstico Preliminar sobre o Risco a Escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro, produzido pelo Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro e aprovado pelo Governo do Estado. (DRM-RJ)

SG

Os setores de risco iminentes são considerados aqueles críticos, ou seja, onde os condicionantes geológicos e de uso inadequado do solo indicam uma probabilidade de alta de ocorrência de escorregamentos em condições de chuvas normais e elevada possibilidade de destruição de uma ou mais moradias e/ou de mortes. (DRM-RJ, 2012)

Download direto do Mapa de localização dos setores de risco iminente a escorregamentos (*formato PDF): Carta de Risco de Escorregamento de Encostas de São Gonçalo (RJ).

Fonte: http://www.drm.rj.gov.br/

 

Fogo Cruzado – Plataforma Digital Colaborativa

O Fogo Cruzado é uma plataforma digital colaborativa que tem o objetivo de registrar a incidência de tiroteios e a prevalência de violência armada na região metropolitana do Rio de Janeiro através de um aplicativo para tecnologia mobile combinado a um banco de dados.

Link de acesso: https://fogocruzado.org.br/

 

Carta de Risco Remanescente aos Escorregamentos de 6 de abril em Teresópolis

O DRM-RJ (Departamento de Recursos Minerais) disponibiliza para download a Carta de Risco Remanescente aos Escorregamentos de 6 de abril em Teresópolis. Nesta carta são indicados os setores de risco remanescente e risco iminente.

Os setores de risco remanescente são considerados aqueles extremamente críticos, recém afetados por escorregamentos, correspondendo a setores de encosta onde os moradores devem ser evacuados imediatamente, sem que haja a demolição das casas destruídas ou parcialmente destruídas, uma vez que estas ainda protegem aquelas que não foram atingidas. (DRM-RJ, 2012)

Os setores de risco iminentes são considerados aqueles críticos, ou seja, onde os condicionantes geológicos e de uso inadequado do solo indicam uma probabilidade de alta de ocorrência de escorregamentos em condições de chuvas normais e elevada possibilidade de destruição de uma ou mais moradias e/ou de mortes. (DRM-RJ, 2012)

Fonte: http://www.drm.rj.gov.br/

Download direto (*formato PDF): Carta de Risco Remanescente aos Escorregamentos de 6 de abril em Teresópolis.

Foliômetro do Carnaval do Rio de Janeiro 2018 (Labgis / UERJ)

O Foliômetro foi criado para apoiar simples consultas e estudos por meio de análise e exportação de dados geográficos sobre essa importante atividade cultural que são os blocos de rua da Cidade do Rio de Janeiro. Atenção: antes de ir para o seu bloco, confira se a programação do mesmo não sofreu alterações.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Neste app você pode selecionar a localização dos blocos conforme mecanismos de busca por Horários, Tamanhos e Datas. Pode ainda associar estas três informações numa única consulta. O site conta ainda com a opção de download de dados e visualização de mapas base variados.

ACESSE e confira as principais informações dos blocos da Cidade do Rio de Janeiro: https://www.labgis.uerj.br/apps/foliometro/

Untitled5

Essa aplicação foi desenvolvida pelo Núcleo de Geotecnologias da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Sistema Labgis/UERJ. Para contatos, sugestões, erros e críticas, utilize o e-mail labgis@labgis.uerj.br.

Fonte de dados: Listagem de blocos da RioTur e Base de Arruamentos do Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos.

Fonte: https://www.labgis.uerj.br