Base Cartográfica Contínua do Brasil 1:250.000

A Base Cartográfica Contínua do Brasil na escala 1:250000 (BC250) é um conjunto de dados geoespaciais de referência, estruturados em bases de dados digitais, permitindo uma visão integrada do território nacional nesta escala. Foi gerada a partir da integração das folhas do mapeamento sistemático brasileiro, na escala de 1:250000, incluindo os dados oriundos do projeto SIVAM. Este mapeamento foi atualizado e complementado em regiões de vazio cartográfico e naquelas previamente definidas pela defasagem de informações. O IBGE desenvolveu a produção dessa base de abrangência nacional, através do projeto SIGBRASIL com a contratação de empresas especializadas na área de cartografia.

A BC250, encontra-se estruturada em 7 (sete) categorias de informação:Hidrografia, Localidades, Limites, Sistema de Transportes, Estrutura Econômica, Energia e Comunicações, Abastecimento deÁgua e Saneamento Básico, conforme a Especificação Técnica para a Estruturação de Dados Geoespaciais Vetoriais (ET-EDGV). Cada categoria está divida em classes de elementos, correspondentes aos elementos geográficos que representam o território nacional nessa escala. Cada classe de elementos possui atributos geométricos e semânticos associados a banco de dados permitindo consultas espaciais e semânticas. A BC250 compõe a Infraestrutura Nacional de Dados Geoespaciais do Brasil (INDE) e representa a escala de maior detalhamento com a cobertura de todo o território nacional.

Fonte: http://dados.gov.br/dataset/ccar_bc250_municipio_a

Visualizador: http://www.visualizador.inde.gov.br/


DOWNLOADS (shapefile / zip)

Abastecimento / Saneamento (2017)

Energia / Comunicação (2017)

Estrutura Econômica (2017)

Hidrografia (2017)

Indicação Geográfica (2017)

Limites (2017)

Localidades (2017)

Relevo (2017)

Transporte (2017)


DOWNLOADS (POSTGIS)

Base cartográfica 250.000 (12/12/2017)


DOWNLOADS (Geopackage)

Base cartográfica 1:250.000 (16/02/2018)


OUTROS DOWNLOADS

LISTA DE NOMES GEOGRÁFICOS: pdf / csv

DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA: Termo de Uso (.pdf) / Doc. Técnica (.pdf)

Embrapa abre acesso da biblioteca de Dados Geoespaciais

Agência FAPESP – A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) acaba de abrir ao público geral o acesso à Biblioteca Geoespacial, sistema de armazenamento e de consulta de conteúdo geoespacial produzido e administrado pela Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna (SP).

O modelo conceitual foi desenvolvido pela pesquisadora Margareth Meirelles, da Embrapa Solos (Rio de Janeiro).

“Trata-se de um instrumento de apoio à execução de projetos que envolvem dados geoespaciais para troca e disposição dessas informações, que são armazenadas e distribuídas na forma de arquivo de documentos, vetorial, raster, SigWeb ou mapa digital”, disse Sandro Pereira, analista em geoprocessamento da Embrapa Meio Ambiente e administrador da Biblioteca.

A Biblioteca Geoespacial conta com um servidor de dados onde são registrados os metadados de cada informação armazenada e tem interfaces gráficas para consulta ao conteúdo e para armazenar novas informações.

O acesso para consulta e download na área pública é livre para qualquer usuário, cadastrado ou não. Já na área privada o usuário, de acordo com os privilégios recebidos dos administradores, pode cadastrar dados, incluir notícias e atalhos para outros endereços.

Também são disponibilizados outros endereços da internet, de outros repositórios de dados e de informações geoespaciais. Além disso, é possível acessar outros projetos da Embrapa Meio Ambiente ou de parceiros.

O sistema pode ser acessado em português, inglês ou espanhol. A consulta ao conteúdo cadastrado pode ser por atributos de identificação do arquivo ou por projeto, sendo necessário somente se cadastrar.

A adaptação do programa da biblioteca para o ambiente institucional da Embrapa Meio Ambiente foi consolidada em parceria com o Programa Marco de Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos da Bacia do Prata.”

Mais Informações: http://geo.cnpma.embrapa.br

Fonte: http://agencia.fapesp.br/17381

Mapeamento de Áreas com Potencial de Risco do Estado do Espírito Santo

“O Mapeamento das Áreas com Potencial de Risco do Estado do Espírito Santo é de fundamental importância para a Defesa Civil Estadual no sentido da adoção de uma política preventiva relacionada à segurança pública e privada e na geração de futuros estudos em âmbito local e regional do Estado. As informações contidas nos mapas gerados nos formatos analógico e digital (Atlas de Riscos do Estado do Espírito Santo – ARES) se constituem em dados estatísticos geograficamente representados dentro de normas técnicas, reproduzindo a realidade da segurança pública, em uma visão macro do Espírito Santo, quanto ao risco de determinadas ocorrências ambientais, humanas e biológicas” (Fonte: Defesa Civil ES)

LOCALIDADE DE PEDRA AZUL, DISTRITO DE ARACÊ, MUNICÍPIO DE DOMINGOS MARTINS, ES

Todo o material apresentado oferece elementos essenciais à compreensão do leitor, como Introdução, Objetivos, Metodologia e Bibliografia. A seguir é apresentado um MDE executado a partir de curvas com equidistância de 20 metros para Microregião Serrana.

RELEVO TRIDIMENSIONAL DA MICRORREGIÃO CENTRAL SERRANA

 

No site, são dispostas muitas informações sobre as condições naturais do Estado e inclusive com importantes pontos georreferenciados como é o caso dos pontos de Deslizamento de Encostas e Erosão Marinha. Apesar do site precisar de um nível maior de maturidade, as informações disponíveis valem o esforço, principalmente se você pretende elaborar trabalhos na área.

O link direto é http://www.defesacivil.es.gov.br/riscos/Riscos.htm

Aplicativo Bairros Cariocas

O Instituto Pereira Passos (IPP) disponibiliza na internet o sistema “BAIRROS CARIOCAS”. Trata-se de um aplicativo que oferece informações organizadas sobre a cidade, as regiões administrativas e/ou seus bairros, permitindo a visão geral dos seguintes temas: Território e Meio Ambiente; População; Domicílios; Saúde; Educação; Imóveis; Ocupação e Renda e Tributos.

Seleção por Bairros

O “Bairros Cariocas” é um sistema que une diversas fontes informação (todas devidamente citadas) formando um banco de dados orientado, é de fato excelente para poupar tempo em pesquisas dos temas. No site, ainda é possível encontrar um ótimo texto de autoria de Pedro P. Geiger, “A Metrópole e Cidade do Rio de Janeiro”

O acesso ao sistema de informações e ao texto pode ser feito diretamente pelo link:

http://portalgeo.rio.rj.gov.br/bairroscariocas/default.htm