COVID-19: Mapas, Óbitos e Leitos (Estado e Região Metropolitana do Rio de Janeiro)

O PPGIHD-UFRRJ desenvolveu mapas para acompanhar os casos de COVID-19 no estado.

Mapas elaborados pelo Prof. Gustavo Mota de Sousa, do Laboratório Integrado de Geografia Física Aplicada (LiGA-UFRRJ), com apoio dos professores André Santos da Rocha e Leandro Dias de Oliveira (LAGEP- UFRRJ) – todos estes do Depto. de Geografia (IA-UFRRJ).

A coleta e processamento dos dados conta com a colaboração do professor Alexandre Fortes (Depto. de História, IM-UFRRJ), dos mestrandos Fábio Rossi e Thiago Costa (ambos do PPGIHD-UFRRJ) e da discente de graduação Camila Gonçalves dos Santos (DGG-IA-UFRRJ). Trata-se de uma parceria do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Humanidades Digitais (PPGIHD-UFRRJ) com o Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO-UFRRJ).

Informações sobre COVID-19 atualizadas diariamente com os dados oficiais da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro.

Link: https://www.ppgihd-open-lab.com/dados-baixada

Casos de Coronavírus (COVID-19) pelo Mundo

Acompanhe os casos pelo mundo. Através do link é possível ter acesso aos dados e mapas desta Pandemia.

Link: https://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6

Cartas de Risco a Escorregamento em Encostas nos Municípios Fluminenses: Guapimirim

O DRM-RJ disponibiliza para Download Cartas de Risco a Escorregamento de Municípios do Rio de Janeiro, que aborda os riscos iminentes. A metodologia de análise qualitativa, em escala grande, do risco geológico a escorregamentos, adequada às condições do Estado do Rio de Janeiro, foi definida em 2010, servindo de base para o programa de Mapeamento de trinta e um municípios, considerados prioritários, em função da análise apresentada, em dezembro de 2009, no documento Diagnóstico Preliminar sobre o Risco a Escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro, produzido pelo Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro e aprovado pelo Governo do Estado. (DRM-RJ)

Os setores de risco iminentes são considerados aqueles críticos, ou seja, onde os condicionantes geológicos e de uso inadequado do solo indicam uma probabilidade de alta de ocorrência de escorregamentos em condições de chuvas normais e elevada possibilidade de destruição de uma ou mais moradias e/ou de mortes. (DRM-RJ, 2012)

Download direto do Mapa de localização dos setores de risco iminente a escorregamentos (*formato PDF): Carta de Risco de Escorregamento de Encostas de Guapimirim.

Fonte: http://www.drm.rj.gov.br/

Cartas de Risco a Escorregamento em Encostas nos Municípios Fluminenses: Silva Jardim

O DRM-RJ disponibiliza para Download Cartas de Risco a Escorregamento de Municípios do Rio de Janeiro, que aborda os riscos iminentes. A metodologia de análise qualitativa, em escala grande, do risco geológico a escorregamentos, adequada às condições do Estado do Rio de Janeiro, foi definida em 2010, servindo de base para o programa de Mapeamento de trinta e um municípios, considerados prioritários, em função da análise apresentada, em dezembro de 2009, no documento Diagnóstico Preliminar sobre o Risco a Escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro, produzido pelo Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro e aprovado pelo Governo do Estado. (DRM-RJ)

Fonte: DRM

Os setores de risco iminentes são considerados aqueles críticos, ou seja, onde os condicionantes geológicos e de uso inadequado do solo indicam uma probabilidade de alta de ocorrência de escorregamentos em condições de chuvas normais e elevada possibilidade de destruição de uma ou mais moradias e/ou de mortes. (DRM-RJ, 2012)

Download direto do Mapa de localização dos setores de risco iminente a escorregamentos (*formato PDF): Carta de Risco de Escorregamento de Encostas de Silva Jardim (RJ).

Fonte: http://www.drm.rj.gov.br/

Geodiversidade do Estado do Espírito Santo

Um grave problema na faixa litorânea do Estado do Espírito Santo é a alta suscetibilidade à erosão costeira. O estado é no Brasil, talvez aquele que mais intervenções sofreu em sua linha de costa compreendendo obras de proteção e construção de portos (DOMINGUEZ, 2010). A ocupação urbana próxima às praias em áreas sujeitas à dinâmica das ondas, onde a movimentação marítima e as correntes de maré realizam o processo de remoção e reposição de areia, expõem a população e a infra-estrutura urbana aos riscos decorrentes da dinâmica costeira.

Os principais fenômenos relacionados a desastres naturais no Brasil são os deslizamentos de encostas e as inundações, que estão associados a eventos pluviométricos intensos e prolongados, repetindo-se a cada período chuvoso mais severo. Apesar das inundações serem os processos que produzem as maiores perdas econômicas e os impactos mais significativos na saúde pública, são os deslizamentos que geram o maior número de vítimas fatais. Este fato justifica a concepção e implantação de políticas públicas municipais específicas para a gestão de risco de deslizamentos em encostas (CARVALHO & GALVÃO, 2006).

Os deslizamentos em encostas e morros urbanos vêm ocorrendo com uma freqüência alarmante nestes últimos anos, devido ao crescimento desordenado das cidades, com a ocupação de novas áreas de risco, principalmente pela população mais carente

Fonte: CPRM, 2014

Downloads:
Mapa: http://rigeo.cprm.gov.br/xmlui/bitstream/handle/doc/14693/geodiversidade_espirito_santo.pdf
Livro: http://rigeo.cprm.gov.br/jspui/bitstream/doc/15426/1/Geodiversidade_ES.pdf
SIG: http://gd.cprm.gov.br/mapas_geodiversidade/gdes_lito.zip
Informações ao Usuário: http://www.cprm.gov.br/publique/media/geodiversidade/mapas_estaduais/InformacoesUsuario_ES.pdf

Fonte: Geodiversidade do estado do Espírito Santo / Organização Sandra Fernandes da Silva [e] Marcely Ferreira Machado. – Belo Horizonte CPRM, 2014.