Vaga: Técnico em Geoprocessamento

Oportunidade em Ipatinga (MG) para desenvolvimento de mapas temáticos com view e layout para impressão utilizando ArcMap 9.3 / 10. Edição da tabela layers (educação, saúde, lotes vagos, etc) para adicionar dados aos layers. Classificação dos layers utilizando dados da tabela de acordo com a necessidade do usuário. Desenho de polygonos, arcos e pontos quando necessários.

Disponível no Link: http://www.ceviu.com.br/vaga/emprego-tecnico-em-geoprocessamento-ipatinga-mg-163046-p-601?utm_source=Indeed&utm_medium=cpc&utm_content=vagas_2011-06-27_163046&utm_campaign=agregadores

No link abaixo também há informações sobre uma vaga semelhante, se não a mesma.

http://www3.catho.com.br/vag/busca/vaga.php?vag_id=6241947&utm_source=Indeed&utm_medium=organic&utm_campaign=Indeed

PS: Estas informações não são de responsabilidade deste Blog, somente divulgo aos interessados.

Rio Ambiente 2011

O Sistema FIRJAN realiza, de 6 a 8 de julho, na sede da Federação, a 7ª edição do Rio Ambiente. O fórum de sustentabilidade tem como foco a gestão de resíduos sólidos, que será debatida com profissionais da indústria e da cadeia de reciclagem, representantes do poder público, pesquisadores e universitários.

O objetivo é estimular a troca de experiências entre os atores envolvidos na nova Política Nacional de Resíduos – indústria, governo, recicladores e universidades – visando uma discussão plural sobre a legislação, suas implicações e etapas de implantação.

As palestras de abertura ficam a cargo de Samyra Crespo, Secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, e Jorge Hargrave, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O Rio Ambiente 2011 é gratuito. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser realizadas pelo 0800 0231 231.

Rio Ambiente 2011
Dia: 6 a 8 de julho de 2011
Horário: 9h às 20h
Sede do Sistema FIRJAN
Avenida Graça Aranha, 1 – 2º e 4º andares 

Link: http://www.firjan.org.br/data/pages/2C908CEC306870870130ACFEB47E7046.htm

Reprojetar Dados (WSG-84, SIRGAS, SAD-69…) com projeções customizadas.

Datum é um problema para muita gente, em especial para aqueles que estão començando. Então, primeiro vamos entender rapidamente alguns conceitos antes de dar partida no GIS.

Datum:

Refere-se ao Sistema de Referência no qual os dados estão baseados a partir de onde são calculadas as altitudes e coordenadas geográficas. Os sistemas de referência são utilizados para descrever as posições de objetos, que por sua vez estão associados a uma superfície (elipsóide de referência) que mais se aproxima da forma da terra, e sobre a qual são desenvolvimentos todos os cálculos das suas coordenadas.

Elipsóide de Referência:

O Elipsóide de Referência é um modelo matemático que representa o Geóide.

É uma figura geométrica tridimensional, de representação matemática simples, formada pela revolução de uma elipse em torno do eixo menor. O elipsóide é usado como base para os cálculos da rede geodésica e definição das coordenadas de pontos tais como latitude, longitude e elevação. Quando um elipsóide de referência é fixado num determinado ponto do geóide define-se um datum geodésico. Esse ponto, designado ponto de fixação, é o ponto de uma rede geodésica que estabelece as relações entre o geóide e o elipsóide de referência, e entre as coordenadas astronômicas e as coordenadas geodésicas. Nos data locais o ponto de fixação é escolhido de forma a minimizar as distâncias entre o geóide e o elipsóide de referência. O elipsóide de Hayford e o WGS84 (World Geodetic System 1984) são as superfícies de referência geodésicas atualmente mais utilizadas nos data geodésicos globais.

Geóide:

O Geóide é a forma aproximada da Terra, trata-se de um modelo físico da forma da terra. O geóide é uma superfície equipotencial e que, em média, coincide com o valor médio do nível médio das águas do mar. A superfície do geóide é mais irregular do que o elipsóide de revolução usado habitualmente para aproximar a forma do planeta, mas consideravelmente mais suave do que a própria superfície física terrestre. A superfície física terrestre varia entre os + 8,850m (Monte Everest) e − 11,000m (Fossa das Marianas), o geóide varia apenas cerca de ±100 m além da superfície do elipsóide de referência. Vale ressaltar que um receptor de GPS pode mostrar as variações de altitude de um elipsóide (cujo centro coincide com o centro de massa terrestre), mas não a altitude ortométrica, relativa ao geóide.

Agora que algumas coisas básicas já foram pontuadas, vamos ao problema do Datum.

Se eu recebo um dado em wgs-84 e estou trabalhando em sad-69, preciso reprojetá-lo? A resposta correta é não, visto que o ArcGis em suas versões mais recentes reprojeta no dataview, mas não reprojeta o dado. Por isso, eu prefiro uma resposta mais prudente. Você não precisa reprojetar se usa o ArcGis ou outro software que faça essa adequação, mas meu conselho é que faça a reprojeção para evitar quaisquer problemas no futuro, em exportações de arquivos por exemplo.

Então, se você é prudente e quer reprojetar, como deve fazer? Que equação escolher?

A resposta está no link da ESRI, que traz uma enorme tabela com as especificações de cada uma das “transformações” disponíveis.

http://downloads.esri.com/support/techArticles/PE9xtrans.zip

Se você pretende mudar de SAD-69 para SIRGAS 2000 ou vice versa, recorra ao documento do IBGE disponível no link:

ftp://geoftp.ibge.gov.br/documentos/geodesia/pmrg/legislacao/RPR_01_25fev2005.pdf

Este documento traz os parâmetros de transformação necessários para a reprojeção, a partir dele crie uma projeção customizada (este método também pode ser utilizado para transformações sad-69 para wgs-84 e vice-versa, caso não queira utilizar a transformação disponível).

Vá ao ArctoolBox >>Data Management Tools>>Projections and Transformations>>Create a Custom Greographic Transformation.

1) Em “Geographic Transformation Name” digite o nome da transformação. Sugiro que insira os nomes das projeções que sarão transformadas, para facilitar a busca quando necessário.

2)Clique para selecionar o sistema de coordenadas de entrada que queremos converter.

3) Clique em para selecionar o sistema de coordenadas de saída na qual queremos transformar.

4) Selecione o método de transformação.

5) Em parâmetros, insira os dados disponíveis no documento do IBGE. Observando sempre a ordem do INPUT e do OUTPUT para que os sinais de “+” e “-” acompanhem adequadamente.

6) Clique em OK e está concluído

Breve relação de parâmetros para transformação:

  SAD69     WGS84 CÓRREGO   SIRGAS
Translação X -66,87 m +138,70 m -67,348 m
Translação Y +4,37 m -164,40 m +3,879 m
Translação Z -38,52 m -34,40 m -38,223 m
  SIRGAS     WGS84 CÓRREGO   SAD69
Translação X +0,478 m +206,048 m +67,348 m
Translação Y +0,491 m -168,279 m -3,879 m
Translação Z -0,297 m +3,823 m +38,223 m
CÓRREGO   WGS84   SIRGAS   SAD69
Translação X -205,57 m -206,048 m -138,70 m
Translação Y +168,77 m +168,279 m +164,40 m
Translação Z -4,12 m -3,823 m +34,40 m
  WGS84     SIRGAS CÓRREGO   SAD69
Translação X -0,478 m +205,57 m +66,87 m
Translação Y -0,491 m -168,77 m -4,37 m
Translação Z +0,297 m -72,623 m +38,52 m

Nasa divulga imagens do Sol em alta definição

“(…) A Nasa está trabalhando em conjunto com a universidade central de Lancashire (UCLan), na Grã-Bretanha, para monitorar detalhes inéditos sobre o campo magnético do astro e a coroa solar. As imagens têm qualidade dez vezes superior ao de uma televisão em alta-definição.

A UCLan é um dos centros europeus que estuda dados coletados pelo SDO (Observador Dinâmico Solar). Na Grã-Bretanha, é o único instituto que fornece fotos com estudos sobre o Sol. O telescópio do satélite faz 80 imagens do Sol a cada minuto, gerando o equivalente a 1,5 terabites de dados por dia. (…)”

Fonte: BBC

Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/2011/05/110509_galeria_sol_dg.shtml

Dados de Mineração (DNPM), Shapefile para Download

O Departamento Nacional de Produção Mineral disponibiliza para download shapefiles e Kml`s dos Recursos Minerários de cada estado do Brasil, contendo o número do processo, titular, substância, tipo de uso, área, fase, entre outros atributos.

Para baixar diretamente os arquivos KML das Áreas dos Processos Minerários por UF, utilize o seguinte endereço:

O DNPM também mantém um Sistema de Informações Geográficas de Mineração, chamado SIGMINE, que apresenta os mesmos dados associado a uma Base Cartográfica e que permite também a visualização da base sobre imagens de satélite. É uma opção bastante interessante para aqueles que procuram consultar informações rapidamente. Este SIG traz os operadores comuns de identificação, busca, localização, além de permitir a impressão de mapas e download de dados do DNPM.

O SIGMINE (requer no mínimo a versão 10.0.22 do Adobe Flash Player) está disponível no link: http://sigmine.dnpm.gov.br/webmap/