Carta Geológica do Brasil ao Milionésimo

O CPRM oferece um recurso on line para buscas específicas sobre:

A – Litoestratigrafia (áreas com descrição e idade das rochas)
B – Total dos Recursos Minerais (indícios, ocorrências, depósitos, minas e garimpos)
C – Recursos Minerais Selecionados (em especial, minas e jazidas)
D – Geocronologia (novas datações de rochas realizadas)
E – Geoquímica (estações de amostragem de sedimentos de corrente para análise multielementar)
F – Paleontologia (sítios contendo fósseis)
G – Principais Projetos Utilizados
H – Campos de Óleo e Gás
I – Kimberlitos e Rochas Afins (rochas potenciais para diamantes)
J – Elementos Estruturais (falhas, fraturas e outros)
K – Diques

Geologia Folha NA.21 – Tumucumaque

“A Carta Geológica do Brasil ao Milionésimo constitui-se no maior produto da área das geociências do Brasil, sendo único no mundo por reunir o conhecimento de um século de levantamentos geológicos no país e de cinco décadas de pesquisas acadêmicas. Tornou-se um marco importante na história do Serviço Geológico do Brasil, pois representa a consolidação do novo paradigma da geologia, baseado nos bancos de dados, no geoprocessamento avançado e nos Sistemas de Informações Geográficas. Disponível nos formato JPG (imagem) ou PDF (documento do Adobe Acrobat Reader), a Carta Geológica do Brasil ao Milionésimo contém, além das informações geológicas, vários encartes temáticos, informações cartográficas padrão (legenda, articulação das folhas etc.) e uma base de dados organizada em Sistema de Informações Geográfica (SIG), contendo uma enorme quantidade de informações geológicas, de valor inestimável.
O grande volume de informações representado pelas diversas folhas ao milionésimo está disponível em um conjunto de 41 CD-ROMs (quase 18 gigabytes de informação), cada qual constituindo um Sistema de Informações Geográficas (SIG) próprio, onde os dados podem ser consultados e manuseados de forma extremamente amigável e independente, através do programa Arc-Exibe.” (Fonte: CPRM)

CLIQUE AQUI PARA TER ACESSO ÀS CARTAS DISPONÍVEIS

Sobre estes anúncios

A gestão dos recursos hídricos e a mineração

“A presente publicação, ao contemplar uma abordagem inter-relacionada da gestão de recursos hídricos e mineração e apresentar o estado da arte de significativos casos da atividade minerária no Brasil, contribuirá efetivamente para um melhor entendimento da interação entre a mineração e o uso da água, dos impactos ambientais produzidos e de sua possível reversão, dos instrumentos de gestão de recursos hídricos aplicáveis e, por fim, dos requerimentos para que essa atividade se desenvolva de forma sustentável.”

A gestão dos recursos hídricos e a mineração. / Agência Nacional de Águas, Coordenação-Geral das Assessorias ; Instituto Brasileiro de Mineração ; organizadores, Antônio Félix Domingues, Patrícia Helena Gambogi Boson, Suzana Alípaz. Brasília : ANA, 2006. 334 p. : il.

DOWNLOAD

Sumário Resumido

CAPÍTULO 1: A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS E A MINERAÇÃO: VISÃO INTERNACIONAL

CAPÍTULO 2: GESTÃO DESCENTRALIZADA E PARTICIPATIVA DOS RECURSOS HÍDRICOS E A MINERAÇÃO: RISCOS E OPORTUNIDADES

CAPÍTULO 3: OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS E SUA IMPLANTAÇÃO NA MINERAÇÃO: A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA

CAPÍTULO 4: A MINERAÇÃO E O USO DA ÁGUA NA LAVRA E NO BENEFICIAMENTO DE MINÉRIO

CAPÍTULO 5: A GESTÃO INTEGRADA ENTRE A MINERAÇÃO E OS RECURSOS HÍDRICOS, ESTUDOS DE CASO

CAPÍTULO 6: O IBRAM E A GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOS

CAPÍTULO 7: A ATUAÇÃO INSTITUCIONAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS E A MINERAÇÃO

 

 

Geodiversidade do Estado de São Paulo

Dando continuidade à série Geodiversidade, o CPRM disponibiliza o livro “Geodiversidade do estado de São Paulo/ Organização Carlos Augusto Brasil Peixoto. – São Paulo: CPRM, 2010. 176 p.”

“O Levantamento da Geodiversidade do Estado de São Paulo, desenvolvido na escala 1:750:000, apresenta a superfície territorial do estado – 248.209,426 km² – compartimentada em 14 domínios, que, por sua vez, foram subdivididos em 50 unidades geológico-ambientais.

Na descrição de cada domínio e de suas unidades formadoras serão abordados os elementos de definição e as áreas de ocorrência do domínio, exemplos de litologias formadoras de cada unidade geológico-ambiental, formas de relevo e suas características.” (Introdução – Capítulo 3)

DOWNLOAD

OBS: Os arquivos vetoriais estão disponíveis no Geobank

Revista Brasileira de Geografia (Download)

Nos anos de 1939 e 1940, o IBGE iniciou, respectivamente, a edição da Revista Brasileira de Geografia e da Revista Brasileira de Estatística. Através da contribuição dos técnicos do IBGE e de outras instituições nacionais e internacionais, são divulgados nestas revistas artigos e comunicações sobre o conhecimento geocientífico; econômico e social, além de estudos metodológicos.

Com o objetivo de permitir a busca e a recuperação destes estudos, a Gerência de Biblioteca e Acervos Especiais – GEBIS coloca à disposição dos usuários os sumários da Revista Brasileira de Geografia 

Fonte: IBGE

LINK: http://biblioteca.ibge.gov.br/d_detalhes.php?id=7115

Infelizmente, por enquanto, ainda não há um sumário das edições disponíveis para download… =/

IBGE lança nova ferramenta de visualização da INDE

O IBGE apresentou nesta segunda-feira, 04 de junho, a nova ferramenta de visualização da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE). A ferramenta disponibiliza uma enorme quantidade de dados distribuídos por temas e instituições. A seguir está uma imagem da tela com a vegetação da Amazônia Legal em escala 1:250.000.

Este e outros produtos fazem parte de um grande projeto e a INDE passará a integrar as informações geoespaciais do país na internet e facilitará a tomada de decisões sobre planejamento e gestão de recursos, bem como a elaboração de políticas públicas e privadas.

A ferramenta pode ser acessada no endereço a seguir:

http://temp.visualizador.inde.ibge.gov.br/ 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 145 outros seguidores