PROBIO – 10 anos

O PROBIO – Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira – é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente – MMA em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, e tem como objetivo geral auxiliar o governo do Brasil no desenvolvimento do Programa Nacional de Biodiversidade.

A enorme diversidade biológica do Brasil se encontra espalhada em inúmeros ecossistemas no território brasileiro, cada um com sua composição única de fauna e flora. Estes variados ecossistemas, por sua vez, podem ser agrupados em entidades geográficas maiores chamadas BIOMAS, definidos como um conjunto amplo de ecossistemas, de dimensões subcontinentais, adaptado às condições particulares em que se encontram, e caracterizado por fitofisionomias próprias.

O bioma foi utilizado como macro nível de análise e permitiu perceber os relacionamentos ecológicos em grande escala . O Probio trabalha com seis biomas terrestres: a Floresta Amazônica, o Cerrado, o Pantanal, a Caatinga, a Mata Atlântica e o Pampa − e com a Região Costeira e a Região Marinha, que são constituídas de vários biomas diferenciados. Os relatórios abaixo disponíveis tratam temas como Biomas, Unidades de Conservação, Ecossistemas, Espécies, Agrobiodiversidade e Questões Sócioculturais.

A seguir estão os links para as publicações disponíveis

PROBIO – Dez Anos de Atuação

Quarto Relatório Nacional para a Convenção Sobre a Diversidade Biológica

Relatório de Atividades PROBIO 2002-2004

Relatório de Atividades PROBIO 1996-2002

Fonte: MMA

Sobre estes anúncios

Temas do i3geo para download

O MMA disponibiliza algumas informacões do i3geo para download, são eles: Cartografia da Amazônia 1:100.000 , Cartas de vegetação PROBIO, Cartas Geológicas , Cartografia básica vetorial e Monitoramento do Desmatamento dos Biomas Brasileiros.

Apenas os dados armazenados no servidor de arquivos do i3Geo, e autorizados pela fonte produtora ou obtidos de locais públicos, estão disponíveis para download. Caso exista interesse por algum outro arquivo não listado, o usuário deve entrar em contato com o administrador do sistema.

Os arquivos disponíveis estão no formato shapefile. O formato shapefile é composto por três arquivos (shp, shx e dbf) que devem ser obtidos separadamente e armazenados em um mesmo local em seu disco rígido.

Link: http://mapas.mma.gov.br/i3geo/datadownload.htm

Dinâmica de Transição e Interações entre Fitofisionomias Florestais e Formações vegetacionais abertas do Bioma Cerrado

O estudo disponível para download investiga, em áreas do Distrito Federal, aspectos relacionados a mudanças na cobertura vegetacional, adaptabilidade de espécies e interações entre solos e vegetações. Trata-se de uma dissertação de Mestrado da UNB, sob o título de Dinâmica de Transição e Interações entre Fitofisionomias Florestais e Formações vegetacionais abertas do Bioma Cerrado (2007)  – Autor: SILVA, L. de C. R.

O link para download do texto integral é: http://www.cpac.embrapa.br/download/1180/t

Projeto de Monitoramento do Desmatamento dos Biomas Brasileiros por Satélite – PMDBBS

Este projeto tem o intuito de quantificar desmatamentos de áreas com vegetação nativa nos Biomas Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal, e de embasar ações de fiscalização e combate a desmatamentos ilegais naqueles biomas, cabendo ao Centro de Sensoriamento Remoto do Ibama – CSR a detecção dos desmatamentos.

Para o desenvolvimento do monitoramento atual (identificação de mudanças na cobertura vegetal nativa referente aos períodos até 2002 e entre 2002 e 2008) foram utilizadas imagens dos satélites Landsat e CBERS, disponiveis gratuitamente pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE.
O mapa dos remanescentes da cobertura vegetal Brasileira do PROBIO/MMA foi considerado como “mapa de tempo zero” para início do monitoramento. Tal mapa refere-se ao periodo até 2002. As imagens de satélite utilizadas na sua geração (PROBIO) foram empregadas como informação pretérita para identificação das mudanças na cobertura vegetal. Desse modo, as áreas identificadas no mapa do PROBIO como “antrópicas” foram mascaradas (polígonos em preto nas figuras que seguem) e não foram consideradas na análise realizada pelos técnicos de interpretação. Estes buscaram a identificação de possíveis desmatamentos no interior das áreas com vegetação nativa.

O procedimento de identificação dos polígonos de áreas desflorestadas teve como escala base de trabalho a escala 1:50.000 e área mínima de detecção do desmatamento de 2 ha, estando os respectivos resultados separados/disponibilizados conforme articulação 1:250.000 das folhas cartográficas do IBGE em sistema de referência geográfica (datum SAD69).

O link principal para acesso às informações dos Biomas e shapefiles para Download é http://siscom.ibama.gov.br/monitorabiomas/index.htm ou no link http://mapas.mma.gov.br/mapas/aplic/monitoramento_biomas_2002_2008/datadownload.htm

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 145 outros seguidores